domingo, 12 de novembro de 2017

Excelente ... !!!

Muito bom o discurso do formando em Direito na UFSC, Rodrigo Zimmermman, aparentemente proferido em 2008. Fiquei curioso em saber por onde anda este excelente orador.


Ilustre Senhor Representante do Magnifico Senhor Reitor, Ilustre Senhora Diretora do Centro de Ciências Juridicas, Demais autoridades presentes, Senhoras e Senhores.

Meus queridos amigos, nem que eu tivesse vários dias nessa tribuna poderia dizer o que vocês merecem ouvir. Eu queria poder falar de cada um de vocês, mas eu só tenho cinco minutos para falar de nossos cinco anos. É muito pouco tempo mas eu prometo que vou tentar. 

Cá chegamos muito jovens... ingênuos... irresponsáveis... mergulhados no mais impressionante desvaneio da inocência. Proveniente dos aconchegantes lares de nossos queridos pais, estes que nos vêm com os olhos araguados, eis chegou o momento por eles tanto aguardado. O dia em que nós, seus filhos, começamos a caminhar com as nossas próprias pernas, carregando os nossos fardos com as nossas próprias mãos, esbravejando todo amor com as nossas próprias vozes.
 
Meus queridos, amizades construímos, bem querer nós repartimos. E com que mais nos deparamos nesses nossos cinco anos? Com isto: uma vocação. Mais do que isso. Uma missão. A mais nobre de todas, fazer Justiça. E que diabos é isto?
 
Certamente meus queridos, não é ser um juiz leiloeiros de destinos, que anos leve quando não se negue o remédio para o doente, liberdade ao inocente ou só um rumo ao pobre errante. Não é ser um promotor e denunciar pessoas a esmo, postar o dedo em riste, apaixonar-se pela ira e promover somente a cólera. Tampouco é ser advogado embusteiro do juízo, defensor do prejuízo, que no papel escreva 20 e do coitado leve 50.
 
Não meus queridos, Justiça nós faremos quando dissermos a verdade, calarmos a mentira e findarmos todo abuso. Justiça nós faremos quando em frente à corrupção formos além da indginação e exigirmos condenação. Justiça nós faremos quando as mãos dermos aos pobros pra acabar com a tirania e desinfetar nossa República de toda esta anarquia. Justiça nós faremos quando abraçarmos a tolerância e negarmos a ignorância, quando beijarmos sem vergonha e batermos com pudor, sentindo toda dor. Justiça nós faremos, meus queridos, quandos olhos dermos aos cegos, aos surdos ouvidos e aos mudos nossas bocas... E ao órfão uma mãe, um lar ao destelhado, um sorriso ao desgraçado, alfabeto ao iletrado, alegria ao infeliz, esperança aos muitos honestos nesta terra de homens vis. 
 
E no cumprimento desta nossa missão, meus queridos, é-nos vedado a deserção, é-nos vedado o fracasso e só nos resta a vitória. Meus queridos, o mundo nos cobrará por hoje aqui estarmos. Saimos de uma universidade ainda pública, sustentada pela sociedade miserável deste país. Assumimos hoje o dever de nos unirmos aos homems probos para com eles limparmos toda pestinência que recalcitra ao intectar esta malcinada República.
 
E prá terminar, meus queridos, eu vou fazer um pedido a vocês. Não abandonemos a ingenuidade, não abandonemos o sono impúbero. Meus queridos, quando olharmos ao espelho, vejamo-nos criança, lembremo-nos pequenos, quando tudo era grande.
 
E... eu sei que amanhã nós não teremos mais uns aos outros... mas isto não importa, porque o que importa é que nós levaremos estes 5 anos aqui dentro, meus queridos, em nossos corações, para que jamais nos esqueçamos do nosso mais importante dever nesta vida: sermos felizes.
 
Vivamos cada dia de um tal modo, meus queridos, que possamos daqui a muitos e muitos anos, quando chegarmos ao final desta longíqua jornada que se chama vida, olhar pra trás e poder dizer: Puxa! E não é que tudo valeu a pena!
 
Bom, senhoras e senhores, perdoem todo disparate, mas nessa noite é só o que tenho a dizer. Muito obrigado!

Fonte: http://defensorpotiguar.blogspot.com.br/2011/12/discurso-de-formando-em-direito-da-ufsc.html

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Quase lá ... !!!!

Faz tempo que não escrevo aqui, devido a muitos compromissos, e, por as vezes não ter a idéia para aqui manifestar o que necessariamente preciso. Vivemos hoje uma conjuntura totalmente focada e direcionada para CRISE o Brasil passa or um momentos muito delicado e que inspira cuidados. Mas não é isso que quero dizer, não isso que quero embasar o texto de hoje, quero que seja pela iniciativa de cada um em ter algo mais sucinto e descomplicado para se dizer. Falar na capacidade que temos em nossa sangue em conseguir levantar das cinzas e nos erguer, na capacidade de cada um em lutar por algo ainda maior, e que mesquinharias religiosas, culturais, desiguais não contamine a vontade do povo. Que o entusiasmo que significa ter "Deus dentro de si" seja a mola propulsora desse dispositivo chamado vida seja de transformado em revolução.

Bom Dia!!! 

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Enquanto eu Viver!!!

Hoje sentei ao lado do meu pai.
As mãos dele começaram a tremer.
Ele pegou o ipad e escreveu:
“Meu filho, estou com dificuldades para digitar.
Não sei até quando vou conseguir.
Então, vou escrever algumas coisas pra você nunca esquecer, tudo bem?”
Respondi:
“Tudo bem.”
Ele começou a digitar.
Quando terminou,
com os olhos cheio dágua, entregou o Ipad.
Comecei a ler:
“Enquanto eu estiver vivo,
não me deixe dormir até tarde.
Estamos aqui por pouco tempo e,
enquanto estou aqui,
quero aproveitar.
No café,
não coloque adoçante.
Eu gosto com açúcar, com afeto.
Na hora de me dar banho,
não precisa escutar Roberto Carlos.
Pode colocar o vocalista cabeludo que você gosta.
Não lembro o nome dele, “Eddie Vera?”
Daqui 2 meses é meu aniversário.
Me leve para ver o mar, pela última vez.
Enquanto eu estiver vivo,
toda sexta feira,
traga rosas vermelhas e,
entregue para a sua mãe.
Antes de dormir,
gosto de ver o Jornal.
Quando acabar, por favor, mude de canal.
Não deixe na novela!
Os canais que eu gosto:
HBO, Discovery e FOX.
Quando sair do quarto,
deixe a cortina aberta.
Eu gosto de olhar as estrelas.
Antes de dormir,
leve sua mãe ao meu quarto todos os dias.
Eu quero que os olhos dela,
sejam a última coisa que eu vou ver no dia.
Enquanto eu estiver vivo,
vamos precisar de sinais.
Quando eu piscar uma vez é sim.
Duas vezes é não.
Três vezes é “Eu te amo”.
Nós todos vamos morrer.
Depois que eu partir,
continue comprando rosas vermelhas.
Mande entregar toda sexta-feira na casa da sua mãe.
Sempre com um cartão escrito:
“Com amor, Juarez”
Quando minha neta completar 15 anos,
dê uma joia e dance a valsa com ela.
Entre um passo e outro,
diga suave no ouvido dela:
“O vovô te ama”
Uma vez por ano,
junte seus irmãos, sua mãe
e façam uma viagem.
Não foque no medo.
Foque na sua vida.
Encontre alguém,
pra dormir abraçado o resto da sua vida.
Homens tornam-se maridos e pais.
Case-se.
É maravilhoso dividir a vida com outra pessoa.
Na verdade o amor,
é a coisa mais importante que existe.
Uma vez por dia,
pegue o meu celular e,
envie uma mensagem pra sua mãe escrito:
“Eu te amo”.
Uma mensagem,
pode mudar uma vida.
Todo dia 2 de Junho,
busque sua mãe as 20:00 e a leve para jantar.
Ela irá entender.
Quando eu era criança,
sua vó me levou até o jardim e disse:
“Olhe para o céu.
As pessoas não morrem.
Elas viram estrelas.
Elas podem nos escutar e,
até realizar sonhos.”
Depois que eu partir,
olhe para o céu.
E toda vez que ver uma estrela,
será o nosso reencontro.
Entreguei o ipad pra ele.
Enxuguei as lágrimas.
Respirei e,
pisquei três vezes.

Fonte: http://www.thebrocode.com.br/artigo-223-enquanto-eu-viver/


segunda-feira, 28 de julho de 2014

Dia do Pastor!!!!!!!!!!!!


Hoje é dia do:

- Pastor pode vim aqui em casa orar por mim? 
- pastor não quero mais,to cansado.
- pastor, cansei desse negócio de igreja, vou curtir.
- pastor pode esquecer da sua família e vim cuidar das minha família.
- pastor, pode não dormir hoje pra acompanhar uma situação delicada.
- pastor, não precisa tirar férias, como que a igreja vai ficar sem o pastor.
- pastor não precisa de presente, tem mais que ralar mesmo.
- pastor só presta pra pedir dinheiro.
- pastor tem que orar, eu não preciso.
- pastor, de carro novo? Ta explorando os fiéis.
- pastor, não pode se aposentar.
- pastor, ta doente? Ninguém ora por ele.
- pastor, seu filho nunca terá nome, sempre será chamado de "filho do pastor".
- pastor, a sua esposa sempre será a esposa do pastor e nunca a Maria, a Joana, a Ana e etc ...
- pastor, alguém que abdica da sua vida material para cuidar da alma e dos corações das sua ovelhas.

Esse é apenas um pequeno desabafo, e relato do que muitas vezes um pastor enfrenta, para na maioria das vezes ser rotulado de vários adjetivos impróprios ... Portanto quero parabenizar a todos os pastores amigos do fecebook, que levam a preciosa semente andando e chorando, apesar de tudo.

Em especial ao meu pastor preferido, meu pai, meu herói, minha referência ... Que hoje não está a frente de uma igreja por motivos de saúde, mas que sempre foi um exemplo de pastor. Abnegado essa é a palavra certa que no dicionário tem a seguinte interpretação "Indivíduo caracterizado por possuir abnegação; sacrificado, desinteressado, devotado: sujeito abnegado!
Eu vi isso não de ouvi falar, mas de ser parte disso, ao lado dele, minha mãe que sempre foi sua companheira, adjutora ... Amo vocês Pr. Carlos Doni F. Fortes e Elaine Fortes meus pais, que acima de pastores de muitos, são os meus pastores. Parabéns hoje é dia do #Pastorevangelico.


Mais uma eleição!

Estamos a beira de mais uma eleição. Mais uma briga pelo poder, mais uma discussão pra saber quem lucrou mais no poder público. O que mais me chama a atenção entre todas essas coisas, é o fato de que o povo é o último a ser consultado, a única e derradeira consulta é no dia das eleições, onde todos os candidatos estão perfilados para que sejam escolhidos e assim possam confirmar seu voto na urna. A sabatina realizada através do horário eleitoral não é suficiente para explicar ao povo o que necessariamente é preciso para mudar o mundo (ou o país). Quando nos deparamos com essa carência moral, percebemos que a vida passa diante de nós sem ao menos entender o que realmente aconteceu na política. O que mais vemos é a busca de uma satisfação partidários. Porém a sagacidade da maioria dos políticos não está em apenas vencer, mas sim humilhar seus adversários, assim mostrando quem manda mais, quem pode mais, quem consegue fazer isso com a maioria da população do seu lado. Nós queremos uma política transparente, sem acertos por cargos, sem dinheiro por fora, sem que a população seja sempre a última a saber de todos os desafios da vida pública.
Desejo, que seja uma eleição no mínimo autentica, que os partidos aceitem que cada vez mais o povo sabe e conhece as verdadeiras razões do poder.
Queremos dignidade na política, queremos alegria em escolher os governantes. Queremos sim um país mais desejoso em viver a política social e não a politicagem cultural que corroê a população.
Portanto eleições limpas sempre! Bom pleito em 2014!

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Transição!

Em uma oportunidade única, refleti sobre a transição que fazemos em nossas vidas, consigo ver que essa transição está quase que associada a falta de tempo de planejarmos ela. Se cada um estiver planejando estudar e começar sua vida profissional, de repente já se vê nela e quase nem sempre preparado, daí vem o casamento, se planeja tudo mas de repente você está nele e nem ao menos percebe o que realmente deveria ser o casamento, e pra acelerar mais ainda vem os filhos, família problemas de todas as maneiras, que transição é essa e de repente vem a solidão.
Solidão essa que amarga pela falta não de pessoas mas da transição que isso deveria trazer de momentos que ficaram para trás de pensamentos não posto em prática de idéias inacabadas, de movimentos inoportunos de situações indesejáveis, de ter que engolir no seco de ter que pegar a força, de ter que fazer na marra, isso é falta de transição.
Complexo?
Também acho, mas estimulante a pensar que a vida é feita de transições mas as encaramos como momentos e nem sempre os são, os momentos nem sempre são o marco para a transição ou mesmo para novas oportunidades, saber distinguir o certo do errado, ou de como faze-lo nos torna transitáveis ou não.
Assim, completo dizendo passamos por transição diariamente e o fazemos sem perceber.

Eliéder Fortes.